Tempo de uma vida

Escrevi este texto há dois anos, quando perdi meu filho de sete semanas. 
Compartilho com todos os que choram a dor da perda, desejando que o amor de Deus e a esperança da Vida em Jesus Cristo abrace seus corações. Como o fez com o meu.

Pastor Lucas André.

O vovô faleceu aos 91 anos. Por nove décadas, alegrou a vida de muitas pessoas.
Aquela senhora teve o fim de sua vida perto dos 50. Foram muitos anos nos quais certamente trouxe sorrisos e impactou vidas.
O jovem morreu antes dos 20. Foi um momento muito duro e dolorido, no entanto, foram quase 20 anos em que iluminou e alegrou a vida de muitos.
O casal, depois de ouvir o coração do bebê na sétima semana, recebeu a noticia, na nona, de que a gravidez não havia prosseguido.
Quanto tempo uma vida precisa existir para trazer alegria às nossas vidas? 70 anos? 7 meses? 7 semanas?
Jesus Cristo utilizou cerca de 33 anos quando esteve conosco para cumprir sua missão e se tornar a pessoa mais importante de nossas vidas. Ele não apenas nos faz sorrir como traz felicidade no estado pleno. E não precisa de mais que um segundo para fazer esta certeza valer para um coração.
No caso especifico daqueles corações que nos deixam, traz a noticia que realmente conforta: o tempo humano é especifico, o de Deus, não tem fim. Sejam sete dias ou oito décadas que você tenha vivido com alguém, quando você e este alguém vivem ligados a Ele, há uma eternidade inteira pela frente, com muito mais do que sorrir.
Não sabemos quanto tempo ainda vamos ter com as vidas que nos fazem sorrir aqui. Mas sabemos que, desde agora, podemos aproveitar cada segundo, e agradecer a Deus pelo tempo que esta vida durar.
Pois, se o tempo de uma vida importa, muito mais importante é o quanto Deus, por meio dela, faz nosso coração se alegrar.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem